Algoritmo do Google: quais foram as principais atualizações?

O menor tremor nas SERPs do Google (páginas de resultados de pesquisa) pode abalar a esfera de SEO. Este pode ser o sinal da implantação de uma nova atualização do algoritmo do Google.

Para o mecanismo de pesquisa, o objetivo é responder às solicitações dos usuários com resultados cada vez mais precisos. Mas para você, isso pode potencialmente questionar o trabalho de vários meses ou até anos.

Assim sendo, para ajudar você a entender mais sobre as atualizações do algoritmo do Google, eu preparei o artigo de hoje sobre o assunto. Ficou interessado em saber mais? Então acompanhe comigo agora mesmo!

Quais as principais atualizações do algoritmo do Google?

2012: algoritmo do Google Penguin

Antes do ano de 2012, quando o Google lançou algoritmo peguin, era relativamente fácil posicionar um site, já que bastava colocar o maior número de links de entrada para o seu site para ocupar os primeiros resultados no mecanismo de busca internacional.

Isso foi feito com ferramentas que funcionavam automaticamente e em poucos dias você poderia ter um site recém-criado com uma grande quantidade de tráfego para ser usado para o fim que você estava procurando.

O que o Google buscava com esse algoritmo era recompensar os sites que conseguissem seus links com base no conteúdo de qualidade que forneciam e que o fizessem de forma natural e progressiva.

2012: algoritmo Veneza

Algoritmo anunciado pelo Google em fevereiro de 2012 que mudaria as pesquisas locais para sempre. Isso afetaria a resposta do usuário e o plano de trabalho de posicionamento online.

Ou seja, se um usuário antes do algoritmo do Google Venice buscasse na cidade de São Paulo uma empresa de encanamento, o resultado era geral, a menos que fosse pesquisado localmente, ou seja, entrando no motor de busca «empresa de encanadores em São Paulo». 

Mas as regras do jogo mudaram com a chegado do algoritmo Veneza, já que o usuário não teria mais que digitar “empresa de encanadores em São Paulo”, mas apenas pesquisando por “empresa de encanadores” o mecanismo de busca já mostraria os encanadores mais próximos de sua cidade.

Isso perdeu muito tráfego para sites de serviços gerais em todo o país, mas, pelo contrário, trouxe várias melhorias:

  • O usuário não teria mais que pesquisar sua cidade, mas o próprio Google, com base em seu IP, saberia sua localização para lhe dar o melhor resultado local.
  • A partir desse momento, as empresas locais começaram a ganhar força, acima das grandes diretorias e empresas nacionais.

Para SEOs, a grande diferença foi poder usar o Google Maps na web para atacar posições locais. Esse “truque” do mapa aliado ao endereço exato da empresa e endossado pelo Google Meu Negócio ajudou muito a melhorar nos SERPs.

2016: algoritmo Possum

Em 2016 foi lançado o algoritmo Google Possum, que também se refere ao mundo do SEO local. A partir do algoritmo Veneza que discuti acima, as pesquisas locais entram em jogo, mas com um problema que foi corrigido com a entrada de Possum em 2016.

Antes do Possum, se você estivesse no norte da cidade de Madrid e estivesse procurando uma empresa de troca de pneus, o google iria geo-localizá-lo com base no seu IP e determinar que você estava em Madrid e só forneceria resultados da cidade de Madrid. 

Mas com a entrada de Possum, o Google continua a interpretar que você está na cidade de Madrid, mas isso não o torna algo exclusivo para os demais municípios vizinhos. 

Assim, ele irá mostrar as empresas de substituição de pneus que estão nas cidades próximas, que estão realmente mais perto de você do que o sul de Madrid. Essa foi a principal vantagem desse algoritmo.

Esta atualização do algoritmo fez com que a visibilidade fosse perdida em alguns sites porque o algoritmo melhorou e seu site não é mais o “melhor resultado” ou o “resultado mais próximo”.

2013: algoritmo Hummingbird

Este é um dos algoritmos do Google que foi implementado em 2013 e é baseado na análise da semântica em nossas pesquisas, pode parecer um pouco sem importância no início, mas deve-se notar que a saída deste algoritmo afetou mais de 90% de sites mundiais que foram catalogados nas SERPs do Google.

Graças a este algoritmo, os resultados na ferramenta de busca ficaram mais naturais e a intenção de busca do usuário foi respondida de uma forma melhor.

2014: de http a https

Foi em 2014 quando o Google anunciou que os sites deveriam migrar de http para https. 

Esta não seria uma das mudanças de algoritmo do Google que causaria grande “estrago” entre a comunidade online, mas deixou claro que seria um dos muitos fatores a serem levados em consideração pelo Google para classificar e exibir de acordo com os quais sites, dependendo de sua criptografia.

Mas qual é o protocolo https de que o Google tanto gosta e o que ele pode fazer por nós?

Este protocolo https também é conhecido como certificado SSL e tem como objetivo criptografar a sessão do usuário em nosso site. Desta forma, é “garantido” que a troca de informações que ocorre entre o usuário e a web seja feita de forma segura e que não possa ser interceptada por terceiros.

Diante dessa mudança na política do Google recomendando o protocolo https para garantir nossa segurança e nossos dados pessoais, também ocorreram alterações nas SERPs, devido a dois fatores:

  • A primeira delas se deveu ao fato de que quando apareceu um novo fator de posicionamento, os sites que o utilizaram melhoraram o SEO e isso os fez ganhar posições; Portanto, se você não o instalasse, poderia ficar para trás nos SERPs, não porque o Google penalizou você, mas porque valorizou melhor o SEO de seus concorrentes.
  • A mudança de http para https causou muitas dores de cabeça para alguns sites, clonando o site e tendo conteúdo duplicado. Já que o Google interpretou que http://seusite.com era um site e que https://seusite.com era um site diferente, mas ambos com o mesmo conteúdo…. você pode imaginar como isso seria para a visibilidade deles.

2014: algoritmo do Google Pigeon

Este algoritmo do Google é um dos grandes desconhecidos de muitos webmasters e agências de SEO, pois só é responsável por regular as pesquisas locais da seguinte forma:

Graças a esse algoritmo, um site local de qualquer empresa pode se posicionar à frente de um gigante da internet para uma busca específica em uma cidade por um serviço.

Por exemplo, se eu tiver um site de malas que tem uma boa presença para muitas pesquisas do Google … se pretendo posicioná-lo para a palavra “loja de malas em São Paulo” com base neste algoritmo, tenho menos chance de estar nos primeiros resultados que se eu criar um site de malas com a url Malasemsãopaulo.com por exemplo.

Da mesma forma, foram atribuídos links locais a links gerais. Sendo mais importante para um posicionamento local um link de um jornal da mesma localidade do que um link de um jornal nacional, sempre economizando distâncias.

2019: correspondência neural

Uma nova atualização, Neural Matching, foi confirmada em novembro de 2019. A correspondência neural permite que o Google entenda melhor quando as consultas que os usuários fazem têm uma intenção de pesquisa local, mesmo quando o nome ou a descrição da empresa não está incluído na pesquisa.

De acordo com o Google “isso significa que podemos retornar melhor as páginas relevantes, mesmo que elas não contenham as palavras exatas usadas em uma pesquisa, por entender que a página está relacionada a outras palavras e conceitos.”

Gostou de saber mais sobre as atualizações do algoritmo do Google? Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.